Tarefas blog
Outros

Porque eu abandonei o blog e a importância de desapegar

Primeiro post depois do retorno do blog e nada mais justo do que começar com esse assunto: porque eu abandonei o blog por um tempo.

Quando eu criei o blog em 2016, era pra ser algo bom, tanto pra mim quanto para os outros. Eu acho que compartilhar nossas experiências e aprendizados de uma forma que ajude as outras pessoas é incrível e esse sempre foi o propósito desse projeto. 

Até demorou um pouquinho pra eu realmente colocar o blog no ar, por vários motivos, primeiro que dá medo, o que todo mundo vai pensar, e se não der certo, como vou manter tudo isso, etc. Segundo porque eu nunca achava que tava bom o suficiente, então tive que colocar na minha cabeça que nunca ficaria perfeito e que eu faria o meu melhor como eu pudesse. 

Mas depois dessa fase inicial, o blog se tornou meu xodózinho. Eu amava escrever nele e estava empenhada de mantê-lo sempre atualizado.

E por um tempo funcionou. Mas a vida não é um reloginho e a minha rotina que já era bem corrida, ficou enlouquecida. 

Eu ficava até 3h da manhã pra terminar o post da semana, passava o fim de semana inteiro no computador pra tentar adiantar tudo e colocar novas ideias em prática. 

Chegou num ponto que eu deixava de gastar 2 minutos pra dar um carinho pro meu cachorro antes de sair porque senão eu ia me atrasar e não podia perder tempo nenhum (olha a loucura).

Ou seja, algo que era muito bom pra mim e que eu amava, ficou ruim, muito ruim. Tava me prejudicando, prejudicando meu humor, meu trabalho, meus relacionamentos, enfim, minha vida toda tava meio pirada. 

E olha que louco, eu não tinha “chefe” com o blog, não tinha uma pessoa me cobrando pra entregar tudo, era só eu, só a minha cobrança, que era a mais dura de todas. 

Aquele equilíbrio que eu buscava tanto, e que era no que se baseava o blog, não tava existindo na minha vida. E foi nesse momento que eu falei, eu não posso continuar assim.

A partir daí comecei a diminuir muito a frequência de posts novos até parar completamente. Não sei se me traumatizou um pouquinho na época, mas não estava mais prazeroso e eu sentia que eu tava fazendo as coisas de qualquer jeito. Foi difícil, mas parar, foi a melhor coisa que eu fiz.

Eu acho que eu ainda demorei pra parar mesmo, porque eu me apegava a uma ideia que já não era mais real, a um sentimento (de quando eu iniciei o blog) que já não existia.

E isso aconteceu com o blog, mas acontece todos os dias na vida das pessoas. A gente se apega a roupas, relacionamentos, trabalhos, valores e várias outras coisas que já não nos fazem mais bem.

E não to dizendo que é fácil desapegar, porque dá medo, a gente tem uma sensação de fracasso, a gente ainda tem esperança de ter aquele sentimento inicial de novo. 

Mas a verdade é que já não tá mais ali e só quando você abre mão que você dá espaço pra outras coisas, coisas novas e coisas boas de entrarem na sua vida. 

Não to dizendo que a gente tem que se desapegar de tudo de uma vez, nunca acumular nada e viver uma vida minimalista, mas é muito importante, de tempos em tempos, a gente refletir sobre o que já não tem mais espaço na nossa vida e principalmente ser sincero consigo mesmo e dizer quais dessas coisas tem te prejudicado. 

Se você acha muito doloroso, minha dica é começar aos poucos, assim como eu fiz diminuindo a frequência dos posts do blog. Você vai ver o efeito que isso já vai causar e assim terá mais motivação pra liberar essa energia acumulada e poder usá-la em outras coisas que fazem mais sentido no momento. 

Desde que eu desapeguei do blog, muita coisa mudou na minha vida, comecei um novo emprego, fiquei noiva, fui demitida, casei, viajei, montei minha casa, tirei um tempo pra mim, fiz trabalho voluntário, comecei uma nova faculdade de Educação Física e iniciei outros projetinhos. 

Eu precisava desse tempo, desse crescimento e, agora, em outro momento de vida, voltar a trabalhar com o blog parecia muito certo, era uma vontade boa junto com um pouco de medo que aumentava.  

E aqui estou de novo. Com novos aprendizados e experiências, e mais importante que tudo isso, voltando a fazer de uma forma leve e boa, como sempre deveria ter sido. 

Então espero que esse post possa te fazer refletir um pouco sobre algumas coisas na sua vida que você esteja se apegando, mas que não te fazem mais bem. 

Mudar é muito difícil, mas não tem como ver um arco-íris, sem passar pela chuva.

E se você já passou por algo parecido, compartilhe nos comentários, com certeza pode ajudar outras pessoas que estão precisando! ;)

Publicitária, estudando Educação física, um ser aprendiz em busca de uma vida mais leve.